Segunda-feira, 28 de Maio de 2007
02 -Doenças raras
Olá Adelino
Desejo suas melhoras.
Tive agora conhecimento do seu caso através do Alviela. Eu sou natural do concelho de Alcanena-Louriceira e até tenho aí, no Entroncamento, meus primos, que são professores. A sua página faz-me lembrar o tempo em que eu estava, com muito afinco a estudar para fazer admissão à F.M. que também já me vinha interessando, em princípio, como autodidacta, mas dentro dos anos 44 a 46 se bem me lembro, deixou de isso ser possível. Teria sido sol de pouca dura só para alguns amigos.
O certo é que nesse periodo me apareceu um amigo conterrâneo, todo choroso, a dizer-me que tinha vindo a Lisboa por causa de uma doença muito grave e que o médico lhe havia dito que era incurável, prevendo-lhe uns 6 meses de vida. Não se tratava de cancro, mas pelos meus conhecimentos, tratar-se-ía de um antraz já bastante ramificado.
Disse-lhe: não desanimes que eu quero e vou salvar-te!
E, com muito medo e sofrimento também da minha parte, salvei o meu amigo e conterrâneo Constantino.
Infelizmente ele já faleceu, não há muito tempo, mas vive em Alcanena uma sua filha. salvo erro a única, que embora ele muitas vezes falasse nisso não sei se ela o saberá.
Claro que a medicina, sem dúvida avançou em muitos aspectos não só em conhecimento, como em poder dispor de medicamentos de eficácia tão rápida que até chegam a ser perigosos, como ainda os meios auxiliares de diagnóstico, que não se podem hoje comparar. Mas, já nesse tempo o médico dizia: quando o mal é de morte o remédio é morrer. Então, só a fé nos salva. Mas, bem vistas as coisas, não será tanto assim o caso.
Há realmente, continua a haver, e infelizmente, neste campo da pele, várias doenças não tão raras, só porque são consideradas incuráveis, complicadas e que talvez por preocuparem demasiado os clínicos são de algum modo postas de lado, para não dizer despresadas.
Hoje é mais perigoso e impossível tratar de um doente sem se ser médico, etc. etc. e no meu caso, tendo uma filha também com uma doença de pele, dessas a que chamam raras, talvez há uns 20 anos, felizmente agora aparentemente melhor, que eu não me sinto capaz de ter a coragem que tive nos anos 40.
Mas será que eu poderei aconselhar alguém, quando tenho quase 87 anos e o peso deles já vou sentindo? Eu próprio me sinto inseguro, mas quero ainda escrever no meu blog  «plasuasaude» o que fiz e como fiz, para aqui chegar.
A minha filha tem também fotografias. Vou ver como se poderão tratar para serem postas no seu site e contar também a sua história, que às vezes me parece que deveriam envergonhar a Medicina. 
Não desanimem, tenham fé!
Desejamos as melhoras de todos com muita esperança e alívio.
Um abraço para cada um.
João Cândido
E-mail jncandido@Hotmail.com


publicado por Clube bolsadoslotos às 18:34
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

A REVISÂO

O MEU SEGREDO

02 -Doenças raras

01 - SAÚDE

arquivos

Novembro 2013

Fevereiro 2012

Maio 2007

Abril 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds